Sunday, February 26, 2006

da higiene íntima

o poeta é esta lasciva ironia
na agonia de poetizar
professo
a profissão de pro(poe)fe(s)ti-ve(a)zar

como se o desejo pudesse preparar um novo idioma
corrente de palavras pre-paradas

e acrescentando todo o nosso esforço tal a lábia sensitiva
dobrar os acontecimentos num pedaço de papel
tal que se lho entregasse a mulher
(como se ela não o resolvesse
no particular dialeto das soluções do tempo)
abandona-lo-ia
no esquecimento prático
do reconhecimento da sensibilidade do talento
dos amantes separados

fa-zelo um calço aos seus mais novos sapatos
senão falo-ia
íntimo e sorrindo
vi-r(i)lh(a) mais uma vez
enxugar não a minha angústia
mas o corrimento
do colo que já espera por outro

(originalmente publicado no cemgrauscelsius)

américo vespúcio

que bunda! verdadeiro mapa-mundi as metades, e eu aqui a ver navios.

(originalmente publicado no misterwalk.blogspot.com)

pág 84, pág 87

A Esposa Com Mais De Quarenta do Executivo De Óculos Ray-Ban ficou de quatro com a bunda virada para cima. A Esposa Com Mais De Quarenta do Executivo De Óculos Ray-Ban estava oferecendo o cu pra que o Executivo De Óculos Ray-Ban colocasse seu pau dentre dele, cu da Esposa Com Mais De Quarenta do Executivo De Óculos Ray-Ban. A Esposa Com Mais De Quarenta do Executivo De Óculos Ray-Ban fingia que o gesto de ficar de quatro com o cu para cima, era um gesto espontâneo, não premeditado. O Executivo De Òculos Ray-Ban percebera que sua Esposa Com Mais De Quarenta fingia que o gesto de ficar de quatro, com o cu para cima, era um gesto espontâneo, não premeditado. O Executivo De Óculos Ray-Ban fingia que não percebera que sua Esposa Com Mais De Quarenta fingia que o gesto de ficar de quatro, com o cu para cima, era um gesto espontâneo, não premeditado. Mas, já que a Esposa Com Mais De Quarenta do Executivo De Óculos Ray-Ban estava de quatro, com o cu para cima, só restava a Executivo De Óculos Ray-Ban colocar seu pau no cu de sua Esposa Com Mais De Quarenta.

pág. 87
O Executivo De Óculos Ray-Ban estava suado. O Executivo De Óculos Ray-Ban esfregou o seu pau mole no cu de sua Esposa Com Mais De Quarenta. A Esposa Com Mais De Quarenta do Executivo De Óculos Ray-Ban, tentando sempre parecer espontânea e natural, fazia caras e bocas aprendidas em alguns filmes pornográficos que o Executivo De Óculos Ray-Ban trazia para casa na época em que ele o Executivo De Óculos Ray-Ban, começou a perder o interesse sexual por ela, Esposa Com Mais De Quarenta do Executivo De Óculos Ray-Ban. Depois de fazer muita força para eliminar o Gerente De Marketing Da Multinacional Que Fabricava Camisinhas de sua imaginação o Executivo De Óculos Ray-ban conseguiu focalizar o imaginário cu da Kin Bassinger em sua mente e ficou com o pau duro. O Executivo De Óculos Ray-Ban fez sexo anal com sua Esposa Com Mais De Quarenta. O Executivo De Óculos Ray-Ban ejaculou no róseo cu da Kin Bassinger. A Esposa Com Mais De Quarenta do Executivo De Óculos Ray-Ban falou para o Executivo De Óculos Ray-Ban: - eu te amo. O Executivo De Óculos Ray-Ban falou para sua Esposa Com Mais De Quarenta: - eu também. O Executivo De Óculos Ray-Ban tirou o seu pau, meio murcho e coberto por uma gosma bege, de dentro do cu da sua Esposa Com Mais De Quarenta e pensou em uma frase ótima para dizer na reunião de segunda-feira com o diretor de marketing da multinacional que fabricava camisinhas. A frase ótima que o Executivo De Óculos Ray-Ban diria durante a reunião de segunda-feira com a diretoria de marketing da multinacional que fabricava camisinhas era a seguinte: - neste fim de semana, eu almocei comida caseira. Tive de comer o cu da patroa. Quando o Executivo De Óculos Ray-Ban disser esta frase ótima, durante a reunião de segunda feira com a diretoria de marketing da multinacional que fabricava camisinhas o Gerente De Marketing Da Multinacional Que Fabricava Camisinhas rirá.

de sexo, livro do andré sant´anna, autor incluido nos cem melhores contos brasileiros do século, objetiva editora.
(originalmente publicado no cemgrauscelsius)

Sunday, February 19, 2006

por quê sobre sexo ?

sexo não se explica meu filho. sexo faz-se.

sorvete

no cú não. aiiii. aí. quibom.

sorvete II

no cú não. aiiii. aí. quibon. chupa a casquinha.

sorvete III

no cú não. aiiii. aí. quibon. chupa a casquinha. sorvete engorda ?
(originalmente publicados no cemgrauscelsius.blogspot.com)

overture

Quero me abstrair nessas coxas e bundas,
Putas maduras, jovens, noviças, professas,
do único vero Deus, sacerdotisas veras:
Ah, não sair mais dessas fendas e riscas!

Que pés maravilhosos: vôo para o amante,
Voltam só com o amante, descansam apenas
Durante o amor, no leito, depois de gentis mimam
Os pés do amante, que exausto, lasso, se encolhe.
Premiados, aflorados, beijados, lambidos.
Das plantas aos dedos, chupados um a um,
Aos tornozelos, aos lagos de veias lentas,
Pés mais belos que os pés de apóstolos e heróis.

Mas ora, o que é isso tudo, Putas, perto dos
Vossos cus e bucetas, cujos visão, gosto,
odor e tato transformam fiéis em eleitos,
Taernáculo, relicários do impudor.

Por isso, minhas irmãs, nessas coxas e budas
Quero abstrair-me todo, únicas companheiras,
belas maduras, jovens, noviças, professas,
E nunca mais sair dessas fendas e riscas.

Paul Verlaine, Overture, in Para ser Caluniado

educação sentimental


Não diga: "Minha buceta." Diga: "Meu coração."
2. Não diga: "Estou com vontade de foder." Diga: "Estou
nervosa."
3. Não diga: "Acabo de gozar como uma louca." Diga:
"Sinto-me um pouco fatigada."
4. Não diga: "Vou masturbar-me." Diga: "Vou voltar."
5. Não diga: "Quando eu tiver pentelho no cu." Diga:
"Quando eu for grande."
6. Não diga: "Eu prefiro a língua ao pau." Diga: "Só gosto
de prazeres delicados."
7. Não diga: "Entre as reifeições só bebo porra." Diga:
"Sigo uma dieta especial."
8. Não diga: "Tenho doze consolos em minha gaveta."
Diga: "Nunca me entendio quando estou só."
9. Não diga: "Os romances honestos me chateiam." Diga:
"Eu gostaria de ter algo interessante para ler."
10. Não diga: "Quando se lhe mostra uma pica, ela se
zanga." Diga: "É uma original."
11. Não diga: "É uma menina que se masturba até
quase morrer." Diga: "É uma sentimental."
12. Não diga: "É a maior puta da terra." Diga: "É a
melhor menina do mundo."
13. Não diga: "Ela deixa-se enrabar por todos aqueles
que a masturbam." Diga: "Ela flerta um pouco."
14. Não diga: "Ela é uma lésbica raivosa." Diga: "Ela
não flerta de jeito nehum."
15. Não diga: " Eu a vi ser fodida pelos dois buracos."
Diga: " é uma eclética."

Do manual de civilidade destinado às meninas para
uso nas escolas - de Pierre Louÿs